Ribeirão recebe Nublu Jazz Festival pela terceira vez

Nublu Jazz Festival 2014A terceira edição do Nublu Jazz Festival começa nesta quarta-feira (26/03) em Ribeirão Preto, e segue até a sexta-feira (28). O evento, que é realizado paralelamente em São Paulo, traz grandes nomes internacionais do gênero para a “capital do agronegócio”. De quarta a sexta, o Sesc Ribeirão Preto será palco de encontros inéditos entre músicos brasileiros, estadunidenses e europeus.

Tamanha importância fez com os ingressos praticamente se esgotassem. Restam poucos e a dica é correr para garantir a chance de assistir os shows, nos três dias de evento. Os ingressos estão sendo vendidos na bilheteria do Sesc e pela internet.

O festival foi fundado em novembro de 2009, no pub Nublu (em Nova York), em uma maratona musical de duas semanas, com mais de 60 shows. No ano seguinte, o festival passou por Istambul e, no final de 2010, chegou a São Paulo.

Em Ribeirão Preto, os shows acontecerão no Galpão de Eventos do Sesc, sempre às 19h30, com dois shows por noite. Os ingressos para cada noite custam R$ 30 (inteira); R$ 15 (estudantes e usuários matriculados) e R$ 6 (comerciários). Não recomendado para menores de 16 anos. O Sesc fica na rua Tibiriçá, 50 (Centro). Mais informações pelo telefone: 3977-4477.

Confira a programação:

  • 26/03 (quarta-feira), às 19h30

Karriem Riggins & Dj Nuts
O baterista americano Karriem Riggins está na cena do jazz desde seus 16 anos e também é muito bem sucedido no mundo da produção musical, onde colaborou com vários artistas do hip hop, incluindo hip hop instrumental. O brasileiro dj Nuts participa da apresentação.

Karriem Riggins

Bugge ‘N Friends & Guizado
Considerado o artista de jazz mais inovador na Europa no momento, o norueguês Bugge Wesseltoft já tocou com músicos como Terje Rypdal e Jan Garbarek. Pianista, compositor e produtor, Bugge se apresenta no Brasil acompanhado do fundador e co-curador do festival, Ilhan Ersahin (saxofone), além de Erik Truffaz (trompete), Joe Clausell (pick ups e beats), Marius Reksjo (baixo), Andreas Bye (bateria) e Erik Holm (percussão). O trompetista paulistano Guizado é o convidado da noite, dando um toque único e brasileiro ao som de Bugge Wesselfoft.

Bugge Wesseltoft

  • 27/03 (quinta-feira), às 19h30

Kassin & Alberto Quinteto
Alexandre Kassin (multi-instrumentista e produtor) e Alberto Continentino (baixista) são duas talentosas atrações cariocas que carregam uma sonoridade tipicamente brasileira unida a harmonias contemporâneas. Composições próprias e improvisos formam o repertório da noite. Os dois serão acompanhados por Guillherme Monteiro (guitarra), Stephane San Juan (bateria) e Danilo Andrade (teclado).

Nerve & Jojo Mayer (partipação do MC Xis)
O suíço Jojo Mayer é considerado por muitos especialistas como o mágico da bateria. Sua banda, Nerve, mistura dj’s de drum ‘n’ bass ao seu estilo, provocando uma síntese surpreendente entre jazz e música eletrônica. O toque do hip hop fica por conta do MC brasileiro Xis, que faz uma participação especial no show.

Nerve

  • 28/03 (sexta-feira), às 19h30

Jason Moran and the BandwagonJason Moran & The Bandwagon
Jason Moran é um dos pianistas mais quentes do momento. Ele teve grande sucesso com os últimos lançamentos mundiais pela Blue Note. Não só um exímio pianista, Moran também é grande compositor e líder da banda The Bandwagon, com quem divide o palco.

The John Scofield Überjam Band
John Scofield dispensa apresentações como um dos maiores guitarristas de jazz do mundo, carregando nas costas o eterno título de aluno de Miles Davis. O projeto dele, Überjam, destaca o groove e a paixão pela pegada da música negra.

The john Scofield Uberjam Band

O baterista de todas as bandas

Duda Lazarini 2Você pode até não reconhecer o nome, ou o rabinho de cavalo já branco cruzando seu caminho durante uma balada da cidade. Mas é certo que já ouviu e dançou muito ao som das baquetas de Duda Lazarini, que está completando 30 anos de carreira. Balaco, Pó de Café, Dr. Ostrócio e A Selva são alguns dos projetos que estão sob sua batuta.

Natural de Barretos, Duda está em Ribeirão Preto desde 1986 e já tocou em praticamente todos os lugares possíveis da cidade. E com um currículo que abrange Guilherme Arantes, Sambô e a cantora italiana Barbara Casini, ele comemora três décadas dedicadas à música nesta quarta-feira (12/03), com um show de releituras do jazz e da música brasileira. Entre as participações especiais, estarão Murilo Barbosa (piano), Rubinho Antunes (trompete), Bruno Barbosa (contrabaixo), Marcelo Toledo (saxofone), Mauro Zacharias (trombone), Leandro Cunha (teclados) e Vanderlei Henrique (saxofone).

Confira a entrevista que ele concedeu ao Varal Diverso.

Nos anos 1980, você encontrou boas oportunidades em Ribeirão como músico?
Sim. Me mudei pra poder justamente trabalhar como músico e, nesta época, Ribeirão tinha uma noite muito promissora. Eu trabalhava em casas noturnas tocando de segunda a segunda.

Duda Lazarini e Mauro Zacharias, em 1991, na Fascinação

Duda Lazarini e o trombonista Mauro Zacharias, em 1991, na Fascinação Banda Show

Como foi que tudo começou?
Toco desde meus 16 anos, profissionalmente, mas meu primeiro trabalho importante foi com a Fascinação Banda Show, de Taquaritinga, e eu entrei lá com 24 anos.

Quais foram os momentos mais importantes e que te consolidaram como baterista?
Acredito que todos projetos que participei foram muito importante para minha formação, mas posso destacar o período de 7 anos que fiquei na Fascinação (1989 até 1996), e de 1998 até 2001, quando acompanhei Guilherme Arantes por todo o país e gravei o disco Aprendiz com ele.

Como tem sido suas experiências no exterior? Você nota alguma diferença entre a recepção do público brasileiro e do público internacional?
Toquei na Itália com o musico clarinetista Gabriele Mirabasi e com a cantora Barbara Cassini, além de ter participado, em Bogotá (Colômbia), do Festival Internacional da Canção Infantil Caribenha com o músico Márcio Coelho. Lá, também dei palestras sobre ritmos brasileiros. Em se tratando de exterior, sim, nossa música é muito respeitada e o público é extremamente diferente. As pessoas são muito mais receptivas ao que tocamos e nos tratam como verdadeiros artistas.

Duda Lazarini 3

Como apaixonado pela música instrumental, quais são suas grandes influências?
A música instrumental sempre foi muito importante, pois como músico encontrei a melhor forma e liberdade de expressão com ela. Entre minhas principais influências estão Miles Davis, Astor Piazzola, John Coltrane, Art Blakey, Max Roach, Banda Black Rio, Chick Corea e Bill Evans.

Duda Lazarini 1Nunca pensou em viver na capital por conta do mercado de trabalho?
Com 4 filhos pra criar, optei por morar em Ribeirão pela qualidade de vida. Morei um ano em Sampa, mas não deu para levá-los, então tive que ficar por aqui mesmo.

E o que podemos esperar do show de quarta-feira?
Nesse show faço exatamente o que sempre fiz. Armei um repertório para o público que acredito ser o ideal, com apenas uma música minha. Escolhi músicas de alguns amigos que ainda não foram gravadas, além de um arranjo especialmente feito para bateria da música “Conversa de botequim”, de Noel Rosa e Vadico.

Duda Lazarini Leandro Cunha Lisboa

Duda Lazarini e o tecladista Leandro Cunha, em Lisboa (Portugal)

SERVIÇO
Duda Lazarini: 30 anos
12/03 (quarta), às 20h30
R$ 2 (comerciário) / R$ 5 (meia) / R$ 10

Auditório do Sesc Ribeirão Preto
Rua Tibiriçá, 50 (Centro)
Informações: 3977-4477

Texto: Francine Micheli
Edição: Paulo Gallo
Fotos: Arquivo Pessoal/Divulgação

Balaco relembra Tim Maia no Teatro de Arena

A turma de músicos da Banda Balaco sabe agradar o público. Mais do que isso, é difícil resistir ao swing do grupo ribeirão-pretano que homenageia a fina flor do samba-rock. São eles os responsáveis por comandar um show em homenagem a Tim Maia, nome que sempre marcou o repertório da banda, e que promete ser um grande tributo a um dos maiores compositores brasileiros.

Balaco Tim MaiaMarcado para o próximo domingo (9/3), às 18h, no Teatro de Arena, o show terá a participação de artistas da cidade, entre eles as cantoras Fernanda Marx e Alessandra Freire, Zé Chavala e dj Kcond. No repertório, os maiores sucessos do síndico, entre os quais podemos citar, “Não quero dinheiro, só quero amar”, “Vale tudo”, “Gostava tanto de você”, quem sabe até canções da fase “Racional”, entre outras canções que Tim compôs em parceria com músicos como Jorge Ben Jor, por exemplo.

Um show imperdível e mais uma oportunidade de conhecer e desfrutar da paisagem do Teatro de Arena, que reabriu suas portas no começo de fevereiro, depois de estar fechado por quase 2 anos, devido à reformas. Anote aí:

Banda Balaco: Especial “Tim Maia”
9/3 (domingo), às 18h
R$ 10 (meia) e R$ 20 (inteira)
Teatro de Arena “Jaime Zeyger”
Praça Alto do São Bento, s/n (Jardim Mosteiro)

Os ingressos estão à venda na loja Armação Surf Shop (esquina das ruas São Sebastião e Visconde de Inhaúma, no Centro). Informações: (16) 3902-3105.

Texto: Analídia Ferri
Edição: Paulo Gallo
Fotos: Divulgação

Programação rock n’ roll: fuja do Carnaval!

O Varal Diverso separou também a programação para quem não vai viajar, mas quer passar longe da folia do Carnaval. Se por acaso você é um folião assumido, veja aqui as opções para arrastar a sandália.

CarnaVila
Mantenho a tradição roqueira, o Vila Dionísio promove todos os anos o CarnaVila com várias bandas ao longo do feriado. Nesta sexta-feira (28), a partir das 21h, Thiago Giacomelli abre a noite com especial de baladas Hard Rock. Em seguida, às 0h, a banda Johnnie Rock apresenta um tributo especial a Barão Vermelho e Cazuza.

Carna Vila 2014

No sábado (01/03), Luis Albertoni apresenta sucessos do pop rock moderno e acústico, às 21h. Logo após, a banda Echoes relembra os maiores sucessos do Pink Floyd. A banda Echoes retorna ao palco principal para outra apresentação no domingo (02/03), a partir das 22h.

Na segunda-feira (03/03), véspera de feriado, a Microbius Experience abre a programação da noite, às 21h. Para os fãs do metal, a banda Children Of The Beast (Iron Maiden Cover) se apresenta depois das 00h. As duas atrações voltam aos palcos na terça-feira (04/04), encerrando o CarnaVila 2014.

Na sexta-feira e no sábado, as entradas custarão R$ 20 (mulher) e R$ 30 (homem). A entrada para os outros dias (domingo e segunda) terão os mesmos valores: R$ 15 (mulher) e R$ 25 (homem). Vila Dionísio de Ribeirão Preto fica na rua Eliseu Guilherme, 567 (Jardim Sumaré), e fica aberto a partir das 20h. Mais informações sobre convites e reservas pelo site ou pelo telefone (16) 3610-7416.

Carna Rock
Há três anos organizando um evento paralelo ao Carnaval em Ribeirão Preto, o Paulistânia Rock Bar, traz uma programação de rock e metal com bandas de Ribeirão, Sorocaba e Bragança Paulista, no Carna Rock. O evento começa nesta sexta e segue até segunda-feira, sempre a partir das 22h. Na terça, a “matinê” começa às 17h. O Paulistânia Rock Bar fica na rua Daniel Kujawski, 193. As entradas custam R$ 12 (cada dia). Informações pelo telefone: (16) 98837-4959.

Carna Rock Paulistania 2014

Confira a programação completa:

• Sexta-feira (28/02)
Plunk (bossa-punk)
Monroe (funk metal)
Start Today (ska-punk)
Que Miras Chicón (cowpunk)

• Sábado (01/03)
Leptospirose (punk-jazz)
Cativeiro das Ideias (hardcore)
Pissing Against The Wind (punk rock)
Jardi In Hell (punk rock)

• Domingo (02/03)
Lusferus (metal extremo)
Darkager (heavy metal)
Chains Of Fear (heavy metal)
Skinner Hate (heavy metal)

• Segunda-feira (03/03)
Mano Pinga e Seus Comparsas (rock ‘n roll)
Os Pontas (rock psicodélico)
Justino (pós-punk)
Intuito Coletivo (groove)

• Terça-feira (04/04)
Necrofobia (thrash metal)
RDS (new metal)
No Rastro (hardcore)
Evangelizah (hardcore)

Goa Lounge
Seguindo a programação das casas noturnas, o Goa Lounge também é uma outra boa opção para quem quer fugir das marchinhas. Nesta sexta (28/02), quem abre a “folia” é a banda Red Hot Chili Peppers Cover, trazendo os clássicos da banda californiana. O dj da casa Kaio Damasceno também comanda o som da noite, a partir das 22h. Para quem enviar o nome para a lista, as entradas custarão R$ 15 (mulher) e R$ 20 (homem), até às 23h. Depois, os valores sobem.

Mamonas Assassinas Cover Goa 2014No sábado (01/03), a banda ribeirão-pretana Chavala Talhada apresenta um pocket show, acompanhados pelo dj Jota Sta. Rosa, a partir das 22h. Com o nome na lista, as entradas custarão R$ 15 (mulher) e R$ 20 (homem), até às 00h. Depois, os valores sobem.

Quem comanda a noite no domingo (02/03) é a banda 1406, trazendo um tributo aos Mamonas Assassinas, às 19h. Quem chegar até às 20h30, entra na faixa. Depois, a entrada sobe para R$ 10.

E destoando desta programação rock ‘n roll, o Goa fecha o Carnaval com muito samba no pé. Na segunda (03/03), o grupo Sambêbados encerra a folia com os clássicos do samba de raíz, acompanhados pelo dj Rogério Brito, a partir das 22h. Com o nome na lista, as entradas custarão R$ 15 (mulher) e R$ 20 (homem), até às 23h30. Após esse horário, os valores podem subir.

O Goa Lounge fica na rua Marcondes Salgado, 1.621, no Jardim Sumaré. Para mais informações, acesse o site da casa.

Rock no Parque
Parque Curupira
A Secretaria de Cultura de Ribeirão Preto realiza pela primeira vez o Rock no Parque, que acontece neste sábado (01/03), no parque Luiz Roberto Jábali, o Curupira, a partir das 15h. Na programação, estão bandas de rock da cidade, como a Mr. Zeppelin (Led Zeppelin Cover), a banda Antz, Os Filhos de Noel e Uirá Cabral & Bluesmen Group.

A entrada é gratuita, mas também pode ser doado 1 kg de alimento não perecível, que será revertido para o Fundo Social de Soliedariedade. O parque Luiz Roberto Jábali (Curupira) fica na Av. Costábile Romano, 337, na Ribeirânia, e fica aberto todos os dias, das 6h às 20h.

Hip Hop no Parque
Além do Rock no Parque (acima), a Secretaria da Cultura promove outro evento no sábado, como uma alternativa para os que não curtem a folia do Carnaval. É o Hip Hop no Parque, que será realizado no parque Maurílio Biagi, no mesmo horário, 15h. O Hip Hop no Parque será comandado pelo grupo de rap Consciência X Atual, que receberá diversos convidados. Mais cedo, às 14h, serão realizadas aulas e rodas de capoeira, com os grupos Terra Preta e Cordão de Ouro, integrando as atividades do Carnaval alternativo.

E assim como o Rock no Parque, a entrada será gratuita, podendo ser doado 1 kg de alimento que será revertido para o Fundo Social de Soliedariedade. O parque Maurílio Biagi fica na av. Jerônimo Gonçalves, ao lado da Câmara Municipal e da Rodoviária, e também fica aberto todos os dias, das 6h às 20h.

3ª edição do St. Patrick’s Day acontece em Ribeirão em março

Com nova comissão organizadora, evento tenta se redimir da
catástrofe do ano passado em novo formato no dia 22 de março.
Nova cervejaria de Ribeirão Preto também será lançada.

St Patricks 2014A má fama conquistada pelo evento do ano passado serviu de alavanca para os novos organizadores do encontro cervejeiro. Este ano, o St. Patrick’s Day acontece dia 22 de março, no interior do Estádio Palma Travassos (Comercial FC), e ganhará o formato de feira, com expositores, área de alimentação e shows musicais.

A empresa Academia de Ideias Cervejeiras, responsável pela segunda edição, em 2013, já não está mais à frente do evento, que passou para as mãos da empresa Seu Melhor Momento, conhecida pela organização de shows e grandes festas em Ribeirão Preto.

Davi Rodrigues, sócio proprietário da empresa, conta que esta é uma oportunidade de redenção. “Vamos oferecer aquilo que o público espera, com a proposta de ser um evento simples, mas muito bem organizado. Antes, o foco era apenas a venda da cerveja, mas dessa vez falaremos de cerveja como fator cultural, econômico, como deve ser”.

A grande reclamação em relação ao ano passado foi a respeito da desorganização, filas intermináveis e pouca estrutura para atender aos visitantes (mais de 5 mil até então confirmados pelo Facebook).

Edição de 2013 do St. Patrick's Day foi marcada pelas longas filas (Foto: Divulgação/Academia de Ideias Cervejeiras)

Edição de 2013 do St. Patrick’s Day foi marcada pelas longas filas (Foto: Divulgação/Academia de Ideias Cervejeiras)

Nova estrutura e atrações
O St. Patrick’s Day contará com estrutura de banheiros químicos, palcos e um bar linear de mais de 100 metros. Além disso, a parceria com o MGB Studio irá apresentar show das bandas ribeirão-pretanas Chavala Talhada, Vertigo (U2 Cover), Sol de Papel, Rockamama, The Strokes Cover RP e a paulistana Taberna Folk, de música celta. A dj Priscila Hanzi também deve marcar presença com um set de rock’n’roll.

Entre as cervejarias participantes, já estão confirmadas a Colorado, Invicta e Lund, além da novata Walfänger, que terá seu lançamento oficial na cidade. “Nossa prioridade é dar foco às cervejarias de Ribeirão para valorizar nosso produto que é de excelente qualidade”, disse Davi.

Na área de alimentação, restaurantes de comida tradicional irlandesa, vegetariana e fast-food deverão atender ao público com maior comodidade. Os portões serão abertos ao meio-dia, as bandas começarão os show às 14h e o evento se estenderá até a meia-noite. E para garantir a qualidade e organização do evento, a portaria também já não será livre: o valor vai ser de R$ 30.

Os ingressos podem ser comprados com antecedência pelo site NETtickets, além de vários empórios e bares da cidade.

Mas por que verde?
Atualmente, a comemoração de São Patrício — padroeiro da Irlanda — é a maior festa irlandesa no Brasil. Apesar de ser comemorado dia 17 de março nos países de língua inglesa, a tradição ganhou força por aqui pela relação com a cerveja, altamente consumida nesses países.

Com o passar dos anos, a cor verde passou a ser tradicional nas comemorações de São Patrício. Trevos verdes eram usados por São Patrício para explicar a Santíssima Trindade aos pagãos celtas.

St PatricksDay Parade

SERVIÇO
St. Patrick’s Day
22 de março, a partir das 12h
Estádio Palma Travassos (Comercial FC)
Av. Dr. Plínio de Castro Prado, 1.000
Entrada: R$ 30

Texto: Francine Micheli
Edição: Paulo Gallo

João Rock lança line-up de 2014

A organização do João Rock lançou na manhã desta quinta-feira (20) a programação oficial da 13ª edição do evento, que acontece em Ribeirão Preto no dia 31 de maio, no Parque Permanente de Exposições. Estão sendo esperadas 12 grandes atrações: Nando Reis, Jorge Ben Jor, Zé Ramalho, Os Paralamas do Sucesso, CPM 22, Nação Zumbi e O Rappa se revezam em dois palcos, sem intervalos. No Palco Universitário, se apresentam paralelamente Raimundos, Vanguart, Ponto de EquilíbrioNem Liminha Ouviu e Vespas Mandarinas.

(Foto: Divulgação)

Jorge Ben Jor se apresentará no João Rock pela terceira vez (Foto: Divulgação)

Conversamos com Luit Marques, organizador do evento, e ele afirmou que melhorias estão sendo feitas na estrutura para melhorar a acomodação de um público estimado em 30 mil pessoas: aumento e recuo dos camarotes em 20 metros e ampliação da praça de alimentação com capacidade para atender mais gente com mais comodidade. Empresas, lanchonetes e restaurantes tradicionais de Ribeirão Preto deverão ser contratados pela organização do festival para possíveis parcerias.

Questionado sobre a repetição de atrações como O Rappa e CPM 22, que vêm ao festival pela 8ª e 6ª vez, respectivamente (confira o infográfico a seguir), a organização é enfática. “Entendemos e respeitamos as críticas em relação à programação. Mas o João Rock tem a sua coluna principal no rock nacional; então, somos o reflexo do que está em evidência. Temos uma linha de programação à qual somos muito fiéis e queremos seguir esse DNA. Ele vai se repetir em seu formato e isso, em vez de ser um problema, é uma questão de orgulho para nós”, afirma Luit.

(Infográfico: Varal Diverso)

As bandas O Rappa e CPM 22 são as recordistas de partipações no João Rock (Infográfico: Varal Diverso)

Estão confirmados também espaços para a apresentação e prática de esportes como bungee jumping, skate, motocross e outros. Pela terceira vez consecutiva, o festival será transmitido ao vivo pelo canal e site do Multishow.

JoaoRock_04

(Foto: Paulo Gallo/Varal Diverso)

Em 2013, o João Rock teve 100% dos ingressos vendidos e metade do público veio de fora da cidade. “As repúblicas se tornam as acomodações oficiais desse pessoal. É uma grande festa de amizade e convivência e o João Rock já entrou para o calendário dos jovens brasileiros”, disse Luit.

Preços
Os convites, que no ano passado se esgotaram a três dias do evento, já estão à venda pelo site www.joaorock.com.brAs opções são:

  • Pista: R$ 50 (meia) / R$ 100 (inteira)
  • Pista Solidária: R$ 60 (+ 1 kg de alimento)
  • Pista Premium (espaço reservado mais próximo aos palcos principais): R$ 160
  • Camarote João Rock: R$ 130
  • Camarote Open Bar: R$ 280

Texto: Francine Micheli
Edição: Paulo Gallo

Teatro de Arena reabre em Ribeirão; conheça as curiosidades

Teatro de Arena 2

Depois de 1 ano e 8 meses fechado para reforma, o Teatro de Arena “Jayme Zeiger” volta a ativa e reabrirá para o público nos próximos dias 1º e 2 de fevereiro. A programação da reinauguração contempla vários artistas locais, como Play Vinil, Os Filhos de Noel, Malditos Insetos e Blues inSônia, no sábado (01/02), a partir das 16h. No domingo, quem sobe ao palco são as bandas Plunk, Sibéria, Necrofobia, Renegados e Abiosi, a partir das 15h. Para ter acesso ao evento é preciso levar 1 kg de alimento não perecível, que será doado ao Fundo Social de Solidariedade de Ribeirão Preto. O Teatro de Arena fica na praça Alto do São Bento, s/n, no Jardim Mosteiro.

Repaginado, um dos teatros mais bonitos de Ribeirão Preto recebeu novos banheiros, bilheterias, novo bar com área coberta, elevadores para transporte de equipamentos e acesso para Portadores de Necessidades Especiais (PNE). Os camarins — uma das principais queixas de artistas e produtores — também foram reestruturados. Para o desespero dos arquitetos de plantão, o fosso foi aterrado! O vão que ficava no centro do teatro não existe mais, embora ele não recebesse uma gota d’água há anos.

História
Palco de espetáculos memoráveis, o Teatro de Arena “Jayme Zeiger” recebeu o nome do engenheiro que o projetou e construiu. Zeiger foi buscar referências na Europa e Oriente Médio para projetar um dos mais belos espaços da cidade. Nascido na Polônia, Jaime Zeiger chegou a Ribeirão Preto na década de 1950 e atuava na cidade como arquiteto, engenheiro civil, jornalista e professor, e foi responsável por colaborar para inúmeras manifestações culturais da cidade. Foi ele quem assinou o projeto arquitetônico de outras obras importantes como a antiga rodoviária, na avenida Francisco Junqueira (onde hoje funciona o Corpo de Bombeiros), e a segunda construção do Mercado Central de Ribeirão Preto, o “Mercadão” — cuja primeira obra, além de ter sofrido com diversas enchentes, passou por um grande incêndio em 1942 e ficou inutilizado por 16 anos.

O local já recebeu shows de Gilberto Gil, Vinicius de Morais, João Gilberto, Novos Baianos, Cartola, Os Mutantes, entre outros. Depois de anos, o Arena caiu em desuso por conta da preferência dos artistas pelos palcos do Teatro Municipal e do Theatro Pedro II. Um dos últimos grandes eventos que o Arena recebeu foi a Virada Cultural Paulista de 2011, ano em que se apresentaram bandas como Detonautas, Pata de Elefante, RP3, Motormama, Liquidus Ambiento e Beatles 4ever. Confira o nosso registro abaixo:

Um movimento de artistas locais se formou há alguns anos para lutar pela revitalização do espaço. O Movimento Pró-Arena chamou a atenção da sociedade e do poder público e colaborou para que a reforma fosse realizada.

Curiosidades sobre o Teatro de Arena de Ribeirão Preto

  • O Teatro de Arena “Jayme Zeiger” foi a primeira obra do gênero no interior de São Paulo.
  • O local de sua construção foi escolhido por sua topografia, na encosta do morro do São Bento, fator que favoreceu também a acústica do teatro.
  • Passou por reforma em 1987 e a reabertura, no mesmo ano, contou com o show de Jorge Mautner e Nelson Jacobina.
  • O espaço abriga cerca de 2 mil pessoas sentadas.
  • São 15 lances de arquibancadas em formato de ferradura.
  • Concha acústica de cimento com acústica perfeita ao ar livre.
  • Arena com 10 m de diâmetro e palco de 19,70 m.
  • A construção foi feita pelo engenheiro alemão Jaime Zeiger.
  • O Arena foi inaugurado em 19 de junho de 1969.
  • Na época da ditadura, o espaço reunia jovens para discussões políticas.

Texto: Analídia Ferri
Fotos: Paulo Gallo